Aline Bronzati/ Estadão
Aline Bronzati/ Estadão

Mercado Livre anuncia investimento de R$ 17 bi no Brasil

Empresa quer ampliar a unidade de serviços financeiros Mercado Pago e dobrar a capacidade logística no País

Reuters, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2022 | 18h32

O Mercado Livre anunciou nesta terça-feira, 22, que pretende investir R$ 17 bilhões no Brasil em 2022 para dobrar sua capacidade logística no País e ampliar a oferta de sua unidade de serviços financeiros, Mercado Pago.

O montante, 70% maior do que o investido no Brasil em 2021, ilustra como o maior portal de comércio eletrônico da América Latina está mantendo a aposta em seu principal mercado, apesar do esfriamento do entusiasmo de investidores com o setor na região num momento de inflação e juros altos, o que tem erodido parte da capacidade de compra no varejo.

O valor aplicado no ano passado já tinha sido equivalente ao investido pela empresa no país nos quatro anos anteriores, na esteira da explosão do comércio eletrônico impulsionada pelo isolamento social.

Com a gradual flexibilização das medidas contra Covid-19, o Mercado Livre tem se concentrado em oferecer mais serviços financeiros, incluindo seguros e empréstimos, além de dar maior recorrência ao seu marketplace com vendas de produtos de supermercados.

Em comunicado, o Mercado Livre afirmou que o investimento faz parte da estratégia de crescimento e consolidação dos negócios no país e que parte significativa dos recursos será destinada à ampliação de oferta do Mercado Pago. A companhia deve anunciar planos para este negócio na próxima quinta-feira.

A outra parte dos recursos será empregada em quatro novos centros de distribuição no Brasil em 2022, todos no Estado de São Paulo, plano anunciado em fevereiro, e que deve dobrar o potencial de entrega de encomendas do grupo no país.

Também no mês passado, o Mercado Livre havia anunciado plano de investir o equivalente a quase 1,5 bilhão de dólares no México neste ano, para fortalecer sua operação logística, especialmente para os negócios de moda e de supermercados.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.