Daniel Teixeira/Estadão - 17/01/2020
Daniel Teixeira/Estadão - 17/01/2020

Mercado Pago simplifica pedidos de empréstimo para ampliar carteira de crédito

Fintech do Mercado Livre, que já emprestou mais de R$ 3,2 bilhões para clientes, quer expandir os negócios na esteira do avanço do open banking; antes, apenas vendedores pré-aprovadas podiam solicitar um empréstimo

André Jankavski, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2021 | 05h00

O Mercado Pago, fintech do Mercado Livre, quer ampliar a oferta de crédito e começou a oferecer a possibilidade de os clientes solicitarem empréstimos por meio da plataforma. O negócio começou a operar nos últimos dias e será fundamental para a companhia aumentar a sua carteira de crédito e trazer mais vendedores para o seu ecossistema financeiro. Até junho, a empresa já emprestou mais de R$ 3,2 bilhões para os seus clientes.

Anteriormente, o Mercado Pago apenas concedia empréstimos para aqueles que já tinham algum tipo de crédito pré-aprovado pela empresa. Agora, qualquer cliente pode solicitar crédito. A companhia promete uma resposta ao cliente em até quatro dias. 

“É uma mudança importante que vai trazer mais gente para as nossas plataformas”, diz Túlio Oliveira, vice-presidente do Mercado Pago.

Essa nova estratégia também vem na hora que o open banking começa a dar os seus primeiros passos. Afinal, desde o fim da semana passada, os consumidores podem compartilhar os seus dados cadastrais e transações entre instituições financeiras. 

Isso faz com que outros bancos e instituições financeiras como o Mercado Pago possam analisar mais informações e ter mais noção do risco de emprestar dinheiro para uma determinada pessoa – e competir entre si, o que deve trazer uma redução dos juros no futuro. 

Com a entrada em “mar aberto”, o Mercado Livre também deve ver o valor de empréstimos aumentar. Segundo Oliveira, a empresa não tem limitação de crédito e está bem capitalizada para se aventurar mais nesse segmento. Em janeiro deste ano, por exemplo, a companhia captou R$ 1 bilhão por meio de fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC). “Estamos captando para crescer de maneira consistente, mas com o pé no chão”, diz. 

Mais crédito

O Mercado Pago deu um salto nos últimos meses e esses números estão expressos no balanço do Mercado Livre. No segundo trimestre deste ano, a fintech passou a responder por quase 35% da receita do marketplace no País

Muito desse crescimento vem dos valores transacionados pela plataforma de pagamentos – que chegou a US$ 17,5 bilhões. Fora do Mercado Livre, o valor alcançou US$ 10,3 bilhões. Ainda de acordo com o balanço, o Mercado Pago alcançou 8,3 milhões de vendedores únicos da fintech.

“O Mercado Livre caminha na mesma direção de outras empresas como Amazon e Alibaba para se tornar uma holding completa de serviços financeiros e com a atual geração de caixa, pode tomar risco no crédito”, afirma Virgilio Lage, especialista da Valor Investimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.