Mercado reduz projeção para o IPCA neste ano, mas eleva a de 2012

Pesquisa Focus vê inflação menor em 2011, de 6,31% para 6,27%; para 2012, projeção subiu de 5,00% para 5,10%

Fabio Graner, da Agência Estado,

23 de maio de 2011 | 09h00

Pela terceira semana seguida, o mercado financeiro reduziu a projeção para inflação medida pelo IPCA, que passou de 6,31% para 6,27%, segundo dados divulgados há pouco pela pesquisa Focus do Banco Central. Para 2012, no entanto, na mediana das expectativas, o IPCA subiu de 5% para 5,10%.

Para os próximos 12 meses à frente, suavizados, a projeção do mercado passou de 5,22% para 5,11%. Entre as cinco instituições que mais acertam projeções de médio prazo - TOP5 -, a estimativa para o IPCA 2011 recuou de 6,41% para 6,16% e para 2012, de 5,45% para 5,41%. A inflação para o mês de maio teve ligeiro aumento, de 0,46% para 0,48%, enquanto para junho cedeu de 0,20% para 0,13%. A estimativa para o IPC medido pela Fipe em 2011 subiu de 5,90% para 5,92% e para 2012 ficou estável em 4,79%.

IGP-DI

A projeção no mercado financeiro para o IGP-DI deste ano recuou de 6,94% para 6,89%, segundo a pesquisa Focus. Assim como para o IPCA em 2001, foi a terceira queda seguida desse indicador. A projeção para o IGP-M em 2011 teve ligeira queda, passando de 6,81% para 6,80%, no segundo recuo seguido. Para 2012, os dois indicadores seguem com projeção de 5%.

As estimativas para a alta nos preços administrados ficaram estáveis em 4,95% para 2011 e 4,50% para 2012.

Selic

Para o fim deste ano, o mercado financeiro segue esperando a Selic em 12,50% e para o fim do próximo ano, em 12,25%. O mercado elevou de 12,32% para 12,40% a estimativa para a média da taxa Selic em 2012. Para 2011, a previsão para a Selic média foi mantida em 12,16%.

A projeção para a relação dívida/PIB em 2011 recuou de 39,26% para 39,23%, mas foi mantida em 38% para 2012.

PIB

O mercado financeiro reduziu de 4,20% para 4,10% sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro para 2011, segundo a pesquisa Focus. Foi a terceira queda seguida neste indicador. Para 2011, a projeção de crescimento da economia brasileira foi mantida em 4,00%.

Para a produção industrial, a expectativa de expansão para 2011 foi mantida em 3,73%, enquanto para 2012 recuou de 4,60% para 4,55%.

Superávit comercial

O mercado financeiro elevou de US$ 19,50 bilhões para US$ 20 bilhões a estimativa de superávit na balança comercial em 2011. Para 2012, a previsão de saldo positivo foi mantida em US$ 10 bilhões.

As demais projeções relacionadas às contas externas ficaram inalteradas. Para o déficit em conta corrente, a previsão para 2011 segue em US$ 60 bilhões e para 2012, em US$ 70 bilhões. Para o Investimento Estrangeiro Direto (IED), a estimativa para 2011 permanece de ingressos de US$ 50 bilhões e para 2012, em US$ 45 bilhões.

Câmbio

O mercado manteve inalteradas as projeções para a taxa de câmbio, segundo a pesquisa Focus. Para o fim deste ano, a estimativa permaneceu em R$ 1,62 e, para o fim do ano que vem, em R$ 1,70. A expectativa para o câmbio médio em 2011 ficou estável em R$ 1,62 e para 2012, em R$ 1,67.

Tudo o que sabemos sobre:
IPCAFocusinflaçãoBanco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.