Mercados de Tóquio e Osaka vão criar 3ª maior bolsa do mundo

Valor combinado das ações listadas nas duas bolsas ficará atrás somente da NYSE e Nasdaq, segundo números da Federação Mundial de Bolsas

Reuters,

22 de novembro de 2011 | 09h43

As bolsas de Tóquio e Osaka anunciaram nesta terça-feira uma fusão para 2013, em uma operação que criará a terceira maior operadora de mercados do mundo, com ações listadas no valor de cerca de US$ 3,6 trilhões.

A união deUS$ 4,1 bilhões entre a Tokyo Stock Exchange (TSE) e a Osaka Securities Exchange (OSE) encerra meses de negociações. Tóquio controla 90% das operações em dinheiro com ações e Osaka responde pelos maiores volumes nos futuros do índice Nikkei e outros derivativos.

O valor combinado das ações listadas nas duas bolsas ficará atrás somente da NYSE Euronext (US$ 12 trilhões) e Nasdaq OMX (cerca de US$ 4 trilhões), segundo números da Federação Mundial de Bolsas.

Atualmente, a brasileira BM&FBovespa afirma ser a terceira maior bolsa de valores do mundo.

A nova bolsa, no entanto, não tem uma estratégia internacional convincente, vista como um importante fator de crescimento, já que o mercado doméstico no Japão está diante de uma deflação e sofreu anos de estagnação econômica.

Bolsas ao redor do mundo anunciaram US$ 83 bilhões em fusões e aquisições nos últimos cinco anos, na corrida por corte de custos e por diversificação diante de novas companhias e receitas instáveis das operações tradicionais com ações.

"A Bolsa de Tóquio é forte em ações e a de Osaka, em derivativos. Isso criará uma bolsa bem balanceada", disse o especialista Sadakazu Osaki, do Nomura Research Institute.

"A concorrência entre as bolsas no mundo está acirrada e elas precisam se mexer para se tornarem mais competitivas.", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
MERCADOSTOQUIOOSAKAFUSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.