Mexicana Mabe reestrutura operação no Brasil

Um ano e nove meses depois de ter comprado a BSH Continental, a mexicana Mabe, maior fabricante de fogões do mundo, acaba de arrumar a casa da operação brasileira. A empresa reduziu de cinco para três as marcas de eletrodomésticos, especializou a produção das fábricas e está investindo R$ 160 milhões no lançamento de 115 eletrodomésticos da linha branca.

MÁRCIA DE CHIARA, Agencia Estado

17 de março de 2011 | 09h19

?Tínhamos uma salada de marcas?, afirma o presidente mundial da Mabe, Luis Berrondo, fazendo menção ao conflito existente entre as marcas Mabe e Continental, em um segmento, e GE e Bosch, em outro - que eram praticamente concorrentes de mercado, apesar de pertencerem à mesma empresa.

Após várias pesquisas, o grupo decidiu deixar de fabricar e vender no Brasil a marca global Mabe neste semestre. No segundo semestre, a Bosch não será mais produzida aqui, passando a ser importada. Com isso, a empresa centra fogo em três marcas: Dako, para classes de menor renda; GE, para os consumidores com maior poder aquisitivo; e Continental, para a grande classe média brasileira.

?A Continental será a marca mais importante no Brasil, com potencial para se tornar uma das principais do grupo, que está em 70 países?, afirma Eduardo Pisani Mello, vice-presidente comercial da empresa. Há 57 anos no mercado, a Continental deve ampliar de 30%, em 2010, para 40%, neste ano, sua fatia na receita nacional do grupo - para isso, teve 70% da sua linha renovada. A Mabe também volta a fabricar as lavadoras Continental, linha desativada em 2006. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.