Miguel Jorge se diz cético sobre previsões do FMI

Para ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, PIB brasileiro não avançará apenas 4,1% em 2011

Denise Chrispim Marim, da Agência Estado,

22 de abril de 2010 | 14h24

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, afirmou hoje que não acredita em previsões de economistas sobre o desempenho da atividade econômica brasileira e em especial quando formulados por organismos internacionais. Ele se referia ao relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), que prevê um crescimento na economia brasileira de 5,5% neste ano e de 4,1% em 2011.

 

Miguel Jorge disse que não acredita que o Produto Interno Bruto brasileiro avance apenas 4,1% em 2011 em função de pressões inflacionárias. O ministro, entretanto, reconheceu que é possível uma elevação da taxa básica de juros, a Selic.

"Sou cético com previsões de economistas. Nos últimos anos todas se mostraram erradas", afirmou o ministro. "Não acredito que as previsões de inflação possam provocar uma redução de 1 ponto porcentual na atividade econômica brasileira", completou.

 

O ministro acompanhou hoje encontro entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Líbano, Michel Sleiman, no Palácio do Itamaraty. Desse encontro foi determinada a criação de um conselho empresarial Brasil-Líbano, que terá entre seus objetivos fazer do Brasil uma porta de entrada de produtos libaneses à América do Sul. "Este será o primeiro conselho em que haverá libaneses dos dois lados", brincou Miguel Jorge.

Tudo o que sabemos sobre:
FMIBrasilMiguel Jorge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.