Milho: falta de chuva preocupa no início do plantio no Paraná

São Paulo, 6 - O plantio de milho no Paraná atingiu 1,4% da área estimada para a safra de verão até a sexta-feira, segundo relatório da agrônoma Vera Zardo, pesquisadora do Deral. Segundo ela, o número está dentro do esperado. Na primavera de 2003, quando o plantio transcorreu normalmente, 1% da área de milho foi semeada em agosto, 40% em setembro, 40% em outubro, 16% em novembro e 3% em dezembro. O que preocupa os agricultores é a falta de chuvas. Em algumas áreas, o milho foi plantado com baixa umidade no solo. O desenvolvimento da safra de verão será monitorado com cuidado pelo mercado. Dados do Deral apontam que a área deve cair 4,89%, atingindo 1,282 milhões de hectares. Pior: mesmo regiões de plantio de alta produtividade, como Guarapuava, devem apostar menos fichas no cereal, aumentando a área de soja. Como resultado, o Deral estima que a produção da primeira safra de milho será de apenas 7,2 milhões de toneladas, e isso se o tempo for adequado. Em 2003/04, a produção de verão foi de 7,533 milhões de toneladas. A se confirmar, a primeira safra será menor do que o consumo anual de milho paranaense, estimado pelo Deral em 7,7 milhões de toneladas. E é isso que preocupa o mercado. O Paraná é fornecedor de milho para o exterior e para outros estados consumidores. Um aperto na oferta da safra de verão deixa o abastecimento à mercê da safrinha, cuja produção é excessivamente dependente de um clima ideal. (segue)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.