Milho: venda de sementes até setembro caiu 6,5%, diz APPS

São Paulo, 22 - A entrega de sementes certificadas de milho de verão das revendas para os produtores atingiu 70.119 toneladas de maio a setembro. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve uma queda de 6,5%. Os dados, que abrangem todo o território nacional, foram compilados pela Associação Paulista dos Produtores de Sementes (APPS). Segundo Cássio Camargo, os dados ainda não mostram uma tendência definitiva de redução de área. "Os números são mais confiáveis para os estados da Região Sul, mas para o Sudeste e Centro-Oeste, as mudanças ainda podem ocorrer", afirmou. No ano passado, os agricultores haviam comprado 60% das sementes que eventualmente utilizaram até setembro. Os números parciais da APPS mostram que houve uma redução de 20% nas compras de sementes de milho em São Paulo, 18% em Minas Gerais, e 5,7% no Paraná. No Rio Grande do Sul, a compra de sementes cresceu 11%, e em Santa Catarina, o crescimento foi de 12%. Vale lembrar que o Paraná, com 1,351 milhão de hectares, foi o maior plantador de milho de verão na safra 2003/04; Minas Gerais, com 1,320 milhão de hectares, ficou em segundo lugar, e o Rio Grande do Sul, com 1,298 milhão de hectares, ficou em terceiro. Os dados da APPS mostram pouca variação na demanda por tecnologia nas sementes de milho. Nas compras de maio a setembro, as sementes de mais tecnologia representaram 57% das entregas, as de média tecnologia, 17%, e as de baixa, 26%; No mesmo período do ano passado, a demanda por alta tecnologia tinha sido de 59%, de média, 14%, e de baixa, 27%. Para Cássio Camargo, a área de milho deve ficar muito próxima da registrada no ano passado. "Os preços do milho estão desestimulantes para o agricultor; mas os preços da soja também estão, e é provável que a decisão de plantio seja conservadora." (segue)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.