Milho/Cenário: mercado reage e preços melhoram na região sul

São Paulo, 24 - O leilão de opções conseguiu melhorar um pouco as cotações do milho no sul do Brasil. Tanto no Paraná, quanto no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, o mercado estava mais firme, e os compradores, mais ativos. No Rio Grande do Sul, o comprador pagava até R$ 21,00/saca em Pelotas, e até R$ 20,50/saca em Passo Fundo. Em Santa Catarina, o preço aberto pela indústria era de R$ 19,50/saca na região de Campos Novos. Na semana passada, chegaram a sair negócios naquela área a valores pouco acima de R$ 19,00/saca. No interior do Paraná, ontem foram fechados alguns negócios a R$ 16,50/saca e havia possibilidade de até R$ 17,00/saca para quantidades maiores e mais bem localizadas. Trata-se de cotações R$ 0,50/saca superiores às praticadas na semana passada. "O mercado está bem menos ofertado, e alguns compradores tiveram que aumentar os preços pagos pelo milho", avalia um corretor. Outra fonte destaca que os compradores de médio porte estão aumentando a demanda no mercado de lotes. "Indústrias regionais têm menor capacidade de receber direto do produtor; as entregas de milho já estão praticamente finalizadas, e elas começam a demandar o mercado de lotes." O porto de Paranaguá também atuou de forma positiva na segunda-feira. Impulsionado pelos ganhos de Chicago, o mercado transferido passou a pagar R$ 19,00/saca, ou até mesmo R$ 19,50/saca para lotes mais volumosos. Há pouco mais de uma semana, a cotação oferecida pelos compradores situava-se em torno de R$ 18,00/saca. Na última semana, a cotação do milho para dezembro em Chicago acumulou alta de 4,8%. Ontem, dezembro fechou a R$ 96,16 por tonelada. Essa alta não foi tão sentida no Brasil porque a cotação do dólar caiu no mesmo período. De 16 de agosto ao dia de ontem, o dólar recuou 1,46%, fechando a R$ 2,964 no comercial. (Renato Stancato, segue) Se as cotações reagiram no Sul do Brasil, o mesmo não se pode dizer do Mato Grosso. Apesar de a demanda pelas opções ter atingido 100% dos contratos no estado, compradores pareceram não se incomodar. Ontem, exportadores ofereceram R$ 9,50/saca por lotes em Lucas do Rio Verde. Outra grande empresa exportadora chegava a R$ 11,50/saca em Rondonópolis. Diante disso, a indústria ainda sinalizava preços melhores. No Médio-Norte, uma das grandes integrações nacionais pagava entre R$ 10,00 e R$ 10,50/saca, dependendo do tamanho e da localização do Lote. Já no sul do estado, pagava-se R$ 12,00/saca em Campo Verde. Confira a seguir as cotações do milho no disponível em algumas das principais praças de comercialização do Brasil. A apuração é feita pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP (CEPEA): ==========================================================EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DO MILHO NO MERCADO DISPONÍVEL (R$/SC)==========================================================16/ago 17/ago 18/ago 19/ago 20/ago 23/ago==========================================================Passo Fundo 18,67 18,70 18,63 19,00 18,87 18,83Chapecó 19,15 18,88 18,98 19,24 19,32 19,75Paraná/Sudoeste 17,63 17,63 17,40 17,43 17,46 17,58Cascavel 16,23 16,42 16,22 16,34 16,35 16,43Ponta Grossa 17,15 17,38 17,29 17,16 17,23 17,25Paraná/Norte 16,17 16,08 16,29 16,28 16,18 16,41Sorocabana 16,56 16,39 16,48 16,35 16,80 16,94Campinas 17,95 17,98 18,00 18,09 18,33 18,40Mogiana 15,50 16,00 15,99 16,13 16,48 16,48Triângulo MG 15,90 15,62 15,74 15,88 15,90 15,71Rio Verde 14,00 14,10 14,40 14,33 14,25 14,38Sorriso 10,25 10,17 10,50 10,25 10,25 10,50Posto Recife 23,58 23,75 24,12 24,12 24,12 24,00========================================================== (Renato Stancato, fim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.