Milho/Cenário: mercado segue firme; hoje, mais um leilão de opções

São Paulo, 27 - O mercado doméstico do milho no sul do Brasil continuou aquecido ontem, véspera de mais um leilão de opções de venda do governo. As ofertas de milho se reduziram no atacado, em um mesmo momento em que a indústria está mais compradora. Em Santa Catarina, chegou a haver negócio a R$ 19,80/saca na região do Planalto. Na região de Campos Novos, houve vendedor a R$ 20,00/saca, mas sem confirmação de negócios. No Rio Grande Do Sul, continuava havendo tomador a R$ 21,00/saca base Pelotas. No Paraná, os vendedores de lotes ofertavam milho a R$ 17,00/saca no oeste. Ocorreram pequenos negócios entre R$ 16,80 e R$ 17,00/saca na região. No norte, saiu negócio a R$ 17,00/saca nas cercanias de Maringá. E houve até mesmo R$ 17,20/saca, mas o estoque de milho estava a menos de 5 km do tomador. O Deral informou que a colheita de milho no Paraná atingia 56,3% até a segunda-feira. Com o clima seco na região, a expectativa é de que a atividade continue progredindo. Contudo, os produtores não estão fixando o milho que vem chegando aos armazéns. Esta queda de oferta está provocando os preços mais altos. Hoje, a Conab realiza mais um leilão de opções de venda para o milho. A alta dos preços no interno, contudo, tem convencido alguns produtores paranaenses a não entrar no leilão. O argumento usado é que a liquidação financeira ocorre apenas em dezembro, e o mercado estaria sinalizando um cenário semelhante ao das opções. Contudo, é difícil definir se o pensamento de alguns se refletirá no todo com alterações na demanda por contratos. O próximo leilão vai ofertar, ao todo, 402.030 toneladas: o Paraná terá 75.006 toneladas; Goiás terá 77.031 toneladas; São Paulo terá 25.002 toneladas; Mato Grosso do Sul terá 75.006 toneladas; e Mato Grosso terá 149.985 toneladas. Os preços de exercício tiveram acréscimo de R$ 0,30/saca para todos os estados, em relação ao valor do pregão da última sexta. O valor é mais alto porque o vencimento das opções ocorre em novembro, enquanto o leilão do dia 20 tinha vencimento em outubro. Os preços de exercício do leilão serão R$ 18,40 a saca de 60 quilos no Paraná e em São Paulo; de R$ 17,00, no Mato Grosso do Sul e em Goiás; e de R$ 13,00 no Mato Grosso. (Renato Stancato, segue) Confira a seguir as cotações do milho no disponível em algumas das principais praças de comercialização do Brasil. A apuração é feita pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP (CEPEA): ==========================================================EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DO MILHO NO MERCADO DISPONÍVEL (R$/SC)==========================================================19/ago 20/ago 23/ago 24/ago 25/ago 26/ago==========================================================Passo Fundo 19,00 18,87 18,83 19,50 18,80 19,17Chapecó 19,24 19,32 19,75 19,71 19,92 19,67Paraná/Sudoeste 17,43 17,46 17,58 17,56 17,70 17,96Cascavel 16,34 16,35 16,43 16,56 16,76 16,66Ponta Grossa 17,16 17,23 17,25 17,31 17,52 17,69Paraná/Norte 16,28 16,18 16,41 16,60 16,69 16,78Sorocabana 16,35 16,80 16,94 16,93 17,17 17,44Campinas 18,09 18,33 18,40 18,63 18,56 18,55Mogiana 16,13 16,48 16,48 16,96 16,61 16,96Triângulo MG 15,88 15,90 15,71 15,78 16,12 15,98Rio Verde 14,33 14,25 14,38 14,50 14,50 14,80Sorriso 10,25 10,25 10,50 10,50 10,25 10,10Posto Recife 24,12 24,12 24,00 24,00 24,12 24,12========================================================== (Renato Stancato, fim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.