'Minha missão termina dia 31 de dezembro', diz Gabrielli

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse hoje que ficará no governo até o fim deste ano. Questionado se permanecerá no cargo no governo Dilma Rousseff, Gabrielli apenas afirmou: "Minha missão termina no dia 31 de dezembro". Ele também rebateu críticas, divulgadas pelo site WikiLeaks, de empresas americanas em relação à mudança do modelo de exploração de petróleo no Brasil, em função da descoberta do pré-sal.

KARLA MENDES, Agencia Estado

15 de dezembro de 2010 | 13h04

Segundo ele, a posição das empresas americanas já era conhecida desde a época da discussão, no Brasil, da mudança de concessão para a partilha e da instituição da Petrobras como única operadora. "Para a Petrobras, é bom (ser operadora única) por diversificar as áreas e reduzir os custos. A Petrobras é a empresa com maior experiência do mundo em águas profundas. Garante a qualidade técnica. É bom que seja o operador único", disse Gabrielli, no Palácio do Planalto, onde participa da cerimônia de registro do balanço de governo 2003-2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.