Ministério anuncia medidas de apoio à comercialização do trigo

Brasília, 16 - O secretário de Política Agrícola, Ivan Wedekin, do Ministério da Agricultura, afirmou que o governo fará compras diretas de trigo no total de 200 mil toneladas, por intermédio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no limite de venda de 800 sacas de 60 kg por produtor. As compras oficiais serão via Aquisição do Governo Federal (AGF). "Faremos as compras onde o preço de mercado estiver abaixo do mínimo de garantia", informou Wedekin. No total, o governo tem R$ 80 milhões para o AGF de trigo. Wedekin disse que no momento os preços de mercado estão abaixo do mínimo de garantia em Mato Grosso do Sul e no Paraná. Em Mato Grosso do sul o preço de garantia é de R$ 450 a tonelada, enquanto as cotações de mercado estão na faixa de R$ 420 e R$ 430 a tonelada. No Paraná o mínimo de garantia é R$ 400/t e a cotação de mercado é de R$ 390/t. No Rio Grande do Sul a colheita de trigo começa em 15 de outubro, mas as indicações são de que os preços de mercado ficarão na faixa de R$ 370/t, abaixo do mínimo de garantia de R$ 400/t. A avaliação dos técnicos do ministério é de que as cotações podem cair ainda mais com o avanço da colheita. No Paraná apenas 10% da safra foi colhida. Além do AGF, o governo fará leilão de PEP para 800 mil toneladas do cereal. Outras medidas estão em negociação com a área econômica do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.