Ministério identifica focos de Sigatoka Negra no RS

Porto Alegre, 27 - A delegacia federal da Agricultura no Rio Grande do Sul identificou a ocorrência de Sigatoka Negra no litoral norte do Estado. A doença, provocada por um fungo que atinge plantações de banana, foi confirmada em exame de laboratório realizado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), informou o diretor técnico da delegacia, José Severo. O Ministério da Agricultura ainda não dimensionou o tamanho da área afetada pelo fungo, mas sabe que ele está presente em mais de um município, disse ele. O Estado tem 11 mil hectares de bananas cultivadas, dos quais 9 mil hectares estão no litoral norte. A produção é destinada ao abastecimento interno. O combate ao fungo inclui o corte das plantas atingidas e a substituição por mudas resistentes a ele, desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), descreveu Severo. A Embrapa, contudo, não dispõe de mudas em número suficiente para atender a todos os Estados afetados pela doença. Na região sul, Santa Catarina ainda não notificou a ocorrência da Sigatoka Negra. O Estado é um importante produtor de bananas, com 22 mil hectares cultivados, e exporta para a Argentina e o Uruguai, observou Severo. A notificação da doença no Rio Grande do Sul foi enviada a Brasília na sexta-feira.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2004 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.