Ministério Público pode intervir em demissões da Webjet

O procurador-geral do Trabalho, Luís Camargo, afirmou nesta sexta-feira que o Ministério Público do Trabalho (MPT) estuda a possibilidade de intervir no caso das cerca de 850 demissões anunciadas pela Webjet e pela Gol, controladora da empresa.

AE, Agencia Estado

23 de novembro de 2012 | 16h05

"O Tribunal Superior do Trabalho, no caso das 4 mil demissões da Embraer, deixou o indicativo de que demissões em massa não podem ser unilaterais, exigindo prévia negociação coletiva trabalhista", disse, em nota, Camargo.

A Gol anunciou nesta sexta-feira que vai encerrar as atividades da Webjet, adquirida pela companhia aérea em 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.