Ministro diz que Opel ainda poderá pedir proteção à falência

A unidade Opel, da General Motors, poderá pedir proteção à falência se os planos de negócios da Fiat e Magna forem inadequados, informou o ministro da Economia da Alemanha.

REUTERS

16 de maio de 2009 | 15h50

A caça alemã para uma parceria para a Opel se concentrou em grupos rivais, Fiat e Magna, e o governo quer que elas apresentem um plano completo até o dia 20 de maio.

"Se os planos não estiverem adequados e a Opel tiver de enfrentar a insolvência, então eu vejo poucas alternativas a um pedido de proteção à falência", disse o ministro da Economia, Karl-Theodor zu Guttenberg, ao jornal alemão Welt am Sonntag.

A montadora italiana Fiat quer uma fusão de três vertentes, com as operações da Chrysler e as atividades europeias da GM. A austríaca-canadense Magna também está interessada na Opel, provavelmente junto com investidores russos.

Guttenberg disse que a Alemanha está discutindo os planos com os parceiros norte-americanos sobre uma combinação administrável se a GM entrar com pedido de proteção à falência antes de um acordo que consiga uma parceira para a Opel.

Ele esboçou uma ideia em que um acordo poderia proteger os ativos da Opel dos credores da GM, enquanto um consórcio de bancos poderia fornecer um empréstimo-ponte à Opel, até que outro investidor assuma a empresa.

A ideia encontrou resistência nos Estados Unidos, mas as fontes do governo alemão disseram neste sábado que Berlim espera que isto seja superado.

(Reportagem de Paul Carrel)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSOPELMINISTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.