Minoritário da OGX pede bloqueio de bens de Eike

Acionista alega que a OGX está em situação de risco e que a indisponibilidade dos bens do controlador seria uma garantia contra futuros danos

Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

10 de julho de 2013 | 21h52

O acionista minoritário da petroleira OGX, Márcio de Melo Lobo, pediu à Justiça o bloqueio dos bens do empresário Eike Batista, controlador da empresa. O caso está na 5ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de janeiro (TJ-RJ).

A expectativa é de que a juíza Maria Isabel Paes Gonçalves decida na quinta-feira, 11, sobre a liminar que deu entrada junto a medida cautelar.

No pedido, o minoritário alega que a OGX está em situação financeira de risco e a indisponibilidade dos bens de seu controlador seria uma garantia contra futuros danos.

Para o advogado de Eike e da empresa, Sérgio Bermudes, a ação é "leviana" e "absolutamente infundada", além de contrariar a jurisprudência dos tribunais brasileiros. Segundo Bermudes, o objetivo da ação é buscar um acordo ou benefício ao minoritário, que tem um investimento de cerca de R$ 40 mil em papéis da petroleira.

"Só se pede a indisponibilidade dos bens nos casos em que a lei prevê. Nos casos em que se demonstra de forma inequívoca a responsabilidade de uma determinada pessoa, em casos concretos de proteção da propriedade", disse o advogado.

Tudo o que sabemos sobre:
OGXminoritáriobloqueio de bens

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.