Miriam diz que País vai crescer e incentiva investimento

Ministra do Planejamento afirmou que o Brasil passou pelas dificuldades provocadas pela crise de 2008 e 2009 mantendo o consumo e os investimentos

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

23 de novembro de 2011 | 12h51

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse hoje que o momento econômico mundial é preocupante, mas o País continuará na sua trajetória de crescimento. Miriam falou para uma plateia de micro e pequenos empresários e representantes governamentais durante a abertura do 4.º Fomenta Nacional-SP, evento organizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em um hotel da capital paulista. Segundo Miriam, o Brasil não está isolado do resto do mundo e, embora internamente tenha circunstâncias propícias, está cercado por condições desfavoráveis no âmbito da economia internacional.

A ministra tranquilizou os presentes lembrando que eles trabalham com a mesma lógica dos grandes empresários quando pensam no futuro. Nesse sentido, disse, os micro e pequenos empresários devem continuar a realizar investimentos e confiar na trajetória de crescimento econômico nacional. Miriam afirmou que o Brasil passou pelas dificuldades provocadas pela crise de 2008 e 2009 mantendo o consumo e os investimentos. A ministra citou como exemplo os programas do governo federal, em especial o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Neste ano, segundo Miriam, já foram investidos R$ 43 bilhões do PAC, o que representa 22% a mais do que o gasto em 2010. A ministra destacou no evento organizado pelo Sebrae a conclusão, nos primeiros nove meses deste ano, de 11% do total de obras programadas para até 2014.

Outro ponto citado pela ministra como forma de tranquilizar e estimular os micro e pequenos empresários é o enfrentamento, pelo governo federal, da concorrência predatória de produtos importados. "Estamos enfrentando esta concorrência porque o Brasil é um grande mercado. Precisamos nos proteger da concorrência predatória", disse, frisando que esse foi um dos motivos de a presidente Dilma Rousseff ter lançado em agosto o programa Brasil Maior.

"Estamos crescendo. Como dizem os economistas, o crescimento já está contratado", afirmou, lembrando que as micro e pequenas empresas têm papel fundamental neste processo, gerando empregos e mantendo os investimentos. Segundo ela, as micro e pequenas empresas são responsáveis por 64% de todas as compras do governo federal com valores de até R$ 80 mil.

Miriam deixou o evento sem falar com jornalistas e foi para São Bernardo do Campo (SP), onde participaria de almoço da Associação dos Construtores Imobiliários e Administradoras do Grande ABC (ACIGABC).

Tudo o que sabemos sobre:
Miriaminvestimentoscriseempresários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.