MMA dá sinal verde para início das obras da usina de Jirau

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) concedeu nesta quinta-feira a licença de implantação da hidrelétrica de Jirau, após quatro meses da homologação de concessão da usina. Este é o segundo passo para que o consórcio consiga a lincença de operação que permitirá o início das obras estruturais da usina. "É possível o início de parte das obras (...) com base na viabilidade ambiental", disse o presidente do Ibama, Roberto Messias em coletiva de imprensa. De acordo com a secretária executiva do Ministério do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, com a autorização concedida pelo ministério "o processo de licenciamento prossegue", e se a empresa cumprir todos os procedimentos necessários pode conseguir a licença de operação. O consórcio liderado pela Suez Energy poderá com o documento iniciar a construção do canteiro de obras e de uma ensecadeira. A ensecadeira servirá para viabilizar a obra com o desvio do rio. Para a licença não ser revogada, o consórcio terá de executar um conjunto de condicionantes. Entre elas está a criação de duas áreas de conservação ambiental em Roraima, além de recursos para pesquisas e recuperação de espécies ameaçadas de extinção na região e programas de educação ambiental. O consórcio também deverá investir de 36 milhões de reais para lidar com a questão habitacional e de saneamento de Porto Velho. A usina hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira (RO), possui uma capacidade instalada de 3.300 megawatts e deverá consumir 8,7 bilhões de reais para ser construída. (Por Ana Paula Paiva)

REUTERS

13 de novembro de 2008 | 19h56

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAJIRAU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.