MMX adia início da operação do Porto Sudeste

Adiamento do prazo de entrada da primeira linha do Porto Sudeste foi de dezembro de 2013 para o primeiro semestre de 2014

Mônica Ciarelli, Agencia Estado

13 de setembro de 2013 | 17h16

RIO - A MMX anunciou que o adiamento do prazo de entrada da primeira linha do Porto Sudeste de dezembro de 2013 para o primeiro semestre de 2014. "A data de 31/12 não vai acontecer", informou o presidente da MMX, Carlos Gonzalez, em teleconferência com analistas nesta sexta-feira, 13. Segundo ele, a companhia diminuiu o ritmo da construção durante as conversas com os novos sócios no Porto, o grupo Trafigura e o fundo Mubadala.

A primeira linha do porto tem 92% das obras concluídas. O executivo relatou que o interesse da MMX e dos novos sócios é acelerar as obras para que o porto entre em operação antes do final do primeiro semestre de 2014.

Na teleconferência, Gonzalez revelou que a MMX terá uma cadeira no Conselho de Administração da empresa a ser criada com a Trafigura e a Mubadala para administrar o Porto Sudeste. Destacou ainda que "estão avançadas" as negociações para a venda da unidade de Corumbá. Ao se desfazer do ativo, Gonzalez previu uma queda nos custos da companhia.

Plano de negócios

A MMX tem até junho de 2015 para redefinir seu plano de negócios. Nesse prazo, irá decidir como pretende expandir a mina via alavancagem de investimentos próprios ou por meio da busca de um novo parceiro. "Vamos olhar todas as oportunidade à nossa volta. Seremos uma empresa sem dívida e com habilidade grande para costurar um negócio com sócio estratégico", afirmou o executivo.

Segundo ele, a Trafigura fará um trading com pequenos produtores de minério de ferro da região. "Temos tempo para repensar os próximos passos (...) O foco será a eficiência. Um trabalho contínuo, que não tem fase para acabar."

Tudo o que sabemos sobre:
MMXSuperporto Sudeste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.