MMX aprova aumento de capital de R$ 464,5 mi

A MMX Mineração, empresa do grupo do empresário Eike Batista, informou na noite da última sexta-feira que o conselho de administração da companhia aprovou o aumento do capital social no valor de R$ 464,5 milhões (de R$ 3,571 bilhões para R$ 4,036 bilhões), mediante a emissão de 33.265.661 novas ações ON, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal, sem direito de preferência para os atuais acionistas.

AE, Agencia Estado

23 de maio de 2011 | 08h05

O aumento de capital estava previsto no contexto da oferta pública de permuta para aquisição das ações de emissão da PortX pela MMX realizado na sexta-feira, que movimentou R$ 6,343 bilhões. Em comunicado ao mercado, a MMX destaca que adquiriu 92,28% da PortX, o que equivale a 915.811.267 de ações de emissão desta companhia, por meio do leilão realizado na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

"A aquisição do Superporto Sudeste é um marco na história da MMX. Hoje, com a conclusão da OPA (oferta pública de ações), nos consolidamos como uma mineradora integrada com um porto que aumenta a competitividade de nossa operação e permite maior acesso ao mercado transoceânico?, afirmou o presidente da MMX, Roger Downey, em comunicado.

Os novos papéis serão entregues aos acionistas da PortX que aceitaram a OPA e optaram pela permuta de uma ação de emissão da PortX por um título emitido pela MMX e 0,0502351 ação da mineradora. O preço de emissão por ação é de R$ 13,963.

As novas ações emitidas farão jus, de forma integral e em igualdade de condições com as já existentes, a todos os benefícios, incluindo dividendos, juros sobre o capital próprio e eventuais remunerações de capital que vierem a ser declarados pela companhia após a homologação do aumento de capital pelo conselho de administração.

De acordo com comunicado, os títulos, que serão negociados na Mega Bolsa sob o código MMXM11, bem como as novas ações ON de emissão da MMX, começarão a ser negociados na Bovespa a partir de amanhã. A MMX contratou a Itaú Corretora para atuar como formador de mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.