MMX Mineração aumentará capital em até R$ 1,2 bilhão

Companhia irá fazer uma subscrição privada de ações ordinárias

Agência Estado,

12 de fevereiro de 2010 | 09h17

A MMX Mineração, do empresário Eike Batista, aumentará seu capital em até de R$ 1,218 bilhão. O aumento foi aprovado nesta quinta-feira, 11, pelo conselho de administração da empresa mediante a subscrição privada de ações ordinárias da companhia.

 

O aumento possibilitará a subscrição, pela Wisco Brasil Investimento em Metalurgia, subsidiária brasileira da Wuhan Iron and Steel (Wisco), de 101.781.171 ações ordinárias da MMX, ou 21,52% do capital social da MMX após homologação integral do aumento de capital. A Wisco Brasil pagará, até 26 de fevereiro, o valor total de R$ 738,9 milhões, equivalente a US$ 400 milhões, de acordo com o contrato de subscrição. O negócio é resultado de um contrato de subscrição de ações firmado entre a MMX e a Wisco em 30 de novembro.

 

De acordo com o fato relevante da MMX, se o aumento de capital for acompanhado pela totalidade dos acionistas da MMX, seu valor final chegará ao montante de R$ 1,218 bilhão. Segundo a empresa, o preço de emissão de R$ 7,26 - equivalente ao preço por ação de US$ 3,93 - representa um prêmio de 16,1% em dólar sobre o preço da ação da companhia no fechamento do pregão do dia 22 de junho de 2009, quando recebeu a oferta de compra de participação acionária pela Wisco.

Tudo o que sabemos sobre:
MMX, Eike Batista, Wisco, mineração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.