Moçambique aprova construção de hidrelétrica de US$2 bi--jornal

Moçambique aprovou a construção de uma usina hidrelétrica da ordem de 2 bilhões de dólares, em um movimento para aumentar a geração de energia e atrair investimento estrangeiro, informou nesta quarta-feira o jornal Notícias, controlado pelo governo.

REUTERS

18 de agosto de 2010 | 08h28

Segundo a publicação, o ministro de Energia, Salvador Namburete, afirmou que a nova barragem de Mphanda Nkuwa será construída a 60 quilômetros da hidrelétrica de Cahora Bassa, no rio Zambezi, e será capaz de gerar 1.500 megawatts.

Namburete disse que 20 por cento do controle da usina ficará nas mãos da estatal Electricidade de Moçambique (EDM), enquanto os 80 por cento restantes serão compartilhados pela joint venture formada entre a empresa local Energia Capital e a brasileira Camargo Corrêa.

"Esta infraestrutura trará investimentos de qualidade que irão contribuir para a industrialização e o desenvolvimento econômico e social do país", afirmou ele.

Segundo o ministro, quatro turbinas, cada uma com 375 megawatts de capacidade, serão construídas na primeira fase do projeto, que deve ter início em 2011.

Nesta quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebe o primeiro-ministro de Moçambique, Aires Aly, em Brasília. A agenda com detalhes do encontro, no entanto, não foi disponibilizada.

(Por Charles Mangwiro)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAMOCAMBIQUEUSINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.