Moody´s coloca rating da Grécia em revisão para possível rebaixamento

Agência cita dúvidas sobre capacidade do país de reduzir sua dívida, falta de receita e apoio disponível em caso de falta de crédito como motivos

Renato Martins, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 15h19

A Moody's Investors Service colocou o rating dos bônus governamentais em moeda local e em moeda estrangeira da Grécia em revisão para possível rebaixamento. Os ratings foram mantidos inalterados em Ba1. O teto do rating para bônus e depósitos bancários da Grécia não foi afetado e permanece inalterado em Aaa, em linha com o resto da zona do euro.

"A decisão da Moody's de iniciar essa revisão foi motivado, apesar de progresso significativo na implementação de um esforço muito grande de consolidação fiscal, pela incerteza crescente em relação a: 1) a capacidade da Grécia de reduzir sua dívida para níveis sustentáveis, tendo em vista a recente revisão substancial para cima dos níveis de dívida; 2) a falta substancial de receita que vimos em 2010; e 3) o nível e as condições do apoio atual que seria disponível para a Grécia na eventualidade de seu acesso ao crédito continuar cortado".

A agência diz que a revisão dos ratings "vai focalizar nos fatores, nomeadamente crescimento nominal e consolidação fiscal, que vão orientar a dinâmica da dívida do país nos próximos anos; ela também vai considerar o risco de implementação, que parece ser particularmente alto em 2011, por razões tanto políticas como administrativas".

Segundo a Moody's, "um rebaixamento de vários graus será possível se concluirmos que há um risco elevado de que a relação dívida/PIB da Grécia não consiga se estabilizar nos próximos três a cinco anos, ou de que há um risco maior de que o apoio da União Europeia acabe sendo menos forte depois de 2013 do que a agência de rating assumia anteriormente". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Moody´sGréciabônusrebaixamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.