Moody’s eleva nota de risco do Brasil

Agência de classificação de risco aumentou de Baa3 para Baa2 o rating dos bônus do governo brasileiro, com perspectiva positiva 

Cynthia Decloedt e Regina Cardeal, da Agência Estado,

20 de junho de 2011 | 10h23

A Moody's elevou nesta segunda-feira, 20, o rating dos bônus do governo brasileiro de Baa3 para Baa2, "considerando que o desempenho do crédito soberano é consistente com ratings na parte elevada da margem Baa, que os recentes ajustes nas políticas que devem resultar em um cenário macroeconômico mais sustentável, e diante da perspectiva de melhora dos indicadores fiscais e de crescimento no médio prazo". A perspectiva para o rating brasileiro segue positiva.

Em seu comunicado, a agência afirma que a perspectiva positiva mantida para o rating do Brasil captura a possibilidade de uma nova elevação da classificação nos próximos 12 a 18 meses. "Isto será possível se: 1) o crescimento econômico se moderar e continuar em taxas mais baixas - mas mais sustentáveis e 2) as autoridades quiserem e conseguirem cumprir as metas orçamentárias de curto prazo."  

 Alternativamente, prossegue a nota da agência, se não houver evidências de um progresso significativo nestas áreas, o potencial de alta associado à perspectiva positiva poderá ser removido, deixando o rating do País no atual nível de Baa2.

Em negrito, as classificações do Brasil em cada agência

A última ação de rating referente ao Brasil pela Moody's havia sido anunciada em 22 de setembro de 2009, quando a classificação do País foi elevada de Ba1 para Baa3 e a perspectiva positiva foi atribuída.

(Texto atualizado às 10h38)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.