Moody's: fusão Itaú/CorpBanca pode elevar negócios na AL

Em relatório sobre fusões e aquisições entre instituições financeiras na América Latina, a agência de classificação de risco Moody''s afirmou que os bancos brasileiros e colombianos foram os players mais ativos entre 2011 e 2013, mirando instituições da América Central, do México e do Chile. A Moody''s saudou especificamente a fusão do Banco Itaú Chile com o CorpBanca pelo aumento do potencial de negócios na região.

STEFÂNIA AKEL, Agencia Estado

17 de fevereiro de 2014 | 12h57

A agência afirma que as fusões e aquisições se proliferaram no setor bancário da América Latina nos últimos três anos, motivadas pelas oportunidades de crescimento e pelas condições financeiras favoráveis. "Esse tipo de atividade entre fronteiras geralmente reduz a vulnerabilidade a problemas econômicos em um país", disse a Moody''s.

O relatório destaca, especificamente, o Itaú Unibanco, que "está construindo a maior franquia regional da América Latina". Segundo a Moody''s, o acordo alcançado pelo banco em janeiro deste ano com o chileno CorpGroup para a fusão do CorpBanca e com o Banco Itaú Chile aumentará a diversificação de lucros e o potencial de negócios na região.

"O acordo vai impulsionar as economias de escala do Itaú Unibanco no Chile e vai expandir a presença da empresa na Colômbia, na medida em que ganha acesso às subsidiárias do CorpBanca nesse mercado", disse a Moody''s. "Além disso, a expansão do Itaú na região ajuda a compensar uma potencial desaceleração da economia brasileira porque tanto o Chile quanto a Colômbia têm maior potencial de crescimento nos próximos anos", completou a agência.

Tudo o que sabemos sobre:
bancosItaú ChileCorpBancafusão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.