Moody’s prevê melhora no perfil de crédito das empresas da AL em 2011

Melhora, porém, deve se dar num ritmo mais modesto se comparado ao de 2010

Agência Estado,

20 de dezembro de 2010 | 12h06

As empresas da América Latina devem continuar melhorando o seu perfil de crédito ao longo de 2011, porém em um ritmo mais modesto se comparado com 2010. Essa é a principal conclusão do estudo Latin America Corporate Credit Outlook for 2011, elaborado pela Moody's Investors Service. No estudo, a agência de classificação de risco prevê condições econômicas, em geral, benignas para a região em 2011, promovendo um cenário favorável ao setor corporativo.

Os fatores que podem desacelerar o ritmo de melhoria do perfil de crédito das empresas são: 1º) o ingresso de grandes fluxos de investimento, o que sustenta a valorização das moedas locais e pressiona as margens das empresas voltadas para exportação, como mineração e papel e celulose; 2º) a possibilidade que as pressões inflacionárias resultem em uma maior austeridade das políticas econômicas, principalmente no Brasil; e 3º) uma potencial desaceleração econômica na China e a crise dos países endividados na União Europeia.

Na avaliação da Moody's, as empresas da América Latina deverão continuar explorando os mercados de dívidas globais para financiar os seus significativos projetos de infraestrutura, sustentar o crescimento econômico e estender o perfil de endividamento. A expectativa é de que o ano de 2011 seja marcado por novos emissores de dívidas nos mercados internacionais, encorajados pela demanda contínua e forte dos investidores por instrumentos de dívida e pelo apetite por exposição adicional a mercados de rápido crescimento. 

Tudo o que sabemos sobre:
América LatinaMoody'scrédito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.