Moody’s rebaixa nota de crédito da OGX, com perspectiva negativa

'A perspectiva negativa reflete o perfil de liquidez limitado da OGX até 2014', disse a agência de classificação de risco

Danielle Chaves, da Agência Estado,

03 de julho de 2013 | 09h36

SÃO PAULO - Após a agência de classificação de risco Standard & Poor's rebaixar o rating da OGX, é a vez da Moody's anunciar uma revisão para baixo da nota. A agência rebaixou o rating da OGX de B2 para Caa2 com perspectiva negativa. A decisão conclui uma revisão que havia sido iniciada em 9 de abril deste ano, informou a Moody's em um comunicado.

"O rebaixamento do rating da OGX foi guiado pela fraca resposta da produção de petróleo e pelos fracos fluxos de caixa, que afetam negativamente a cobertura de ativos dos bônus não segurados seniores da companhia", comentou Gretchen French, vice-presidente da Moody's. "A perspectiva negativa reflete o perfil de liquidez limitado da OGX até 2014", acrescentou.

Em fato relevante divulgado ao mercado na segunda-feira, 1º, a empresa informa que sua principal aposta de receita, o campo Tubarão Azul, na Bacia de Campos, que iniciou produção em 2012, pode parar de produzir em 2014. A notícia derrubou as ações de todas as empresas de Eike e alimentou boatos de que a empresa está perto de renegociar suas dívidas.

Além de Tubarão Azul - que até o início da crise, em junho do ano passado, era considerada a estrela da OGX, com estimativa de 110 milhões de barris de petróleo que a empresa poderia retirar do reservatório -, também foram revistos os projetos de Tubarão Tigre, Tubarão Gato e Tubarão Areia, na mesma Bacia de Campos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.