MPX lucra R$121,6 mi no 4º tri ajudada por aplicação financeira

Maior ganho obtido no ano decorreu de operações financeiras, que garantiram resultado líquido de R$ 150,6 mi

REUTERS

30 de março de 2009 | 11h59

A MPX, braço de energia do grupo EBX, do empresário Eike Batista, registrou lucro líquido de 121,6 milhões de reais no quarto trimestre de 2008, encerrando o ano com ganhos de 204,1 milhões de reais.

Em 2007, a empresa teve lucro de 5,5 milhões de reais no quarto trimestre e prejuízo de 104,1 milhões de reais no ano.

O maior ganho obtido no ano decorreu de operações financeiras, que garantiram um resultado líquido de 150,6 milhões de reais no quarto trimestre, proveniente de aplicações dos recursos conseguidos com a abertura de capital da empresa e ao lançamento contábil referente à provisão de ganho com derivativos.

A empresa informou que no quarto trimestre apresentou uma receita líquida consolidada de 8,1 milhões de reais, sendo 6 milhões de reais referentes ao suprimento de energia pela usina térmica Serra do Navio e 2,9 milhões de reais referentes às operações de compra e venda de energia realizadas pela comercializadora da companhia.

Segundo a MPX, o ano passado marcou o início da implantação do portfolio de projetos e foram investidos cerca de 1 bilhão de reais na implementação de três projetos de usinas termelétricas (UTEs): Porto do Pecém I e II e Porto de Itaqui.

"Em julho, iniciamos as obras para a construção da UTE Porto do Pecém I, no Ceará, projeto com capacidade instalada de 720 MW e que entrará em operação em 2011", informou a companhia em comunicado nesta segunda-feira.

A MPX destacou ainda que em 2008 obteve licença prévia para o projeto da térmica de Porto do Açu, no Estado do Rio de Janeiro, que terá capacidade instalada de 2,1 mil megawatts e está localizado na maior região consumidora.

"Consideramos que, por seu tamanho e sua localização, o projeto UTE Porto do Açu configura-se como um dos projetos estruturantes do setor elétrico brasileiro", afirmou a MPX em nota.

A empresa destacou ainda que terminou o ano com caixa de 1,9 bilhão de reais, o que considerou um "ativo valioso" nessa época de crise.

"Estamos convictos que o cenário previsto para 2009 exigirá ainda mais cautela nas decisões de investimento", informou a MPX.

(Por Denise Luna)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAMPX*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.