MPX: prejuízo cresce 223% no primeiro trimestre

A MPX fechou o primeiro trimestre de 2013 com um prejuízo de R$ 250,9 milhões, 223,8% superior ao apurado no mesmo período do ano anterior. É o primeiro balanço divulgado pela companhia de energia elétrica após a empresa alemã E.ON, sócia de Eike Batista na MPX, ter formalizado a compra, por R$ 1,415 bilhão, de mais 24,5% da fatia do empresário na empresa, no fim de março. Com a aquisição, a participação da E.ON no capital da MPX aumentou para 36,2%, enquanto Eike, que controlava a empresa com 53%, passou a ter 28,5%.

MARIANA DURÃO, Agencia Estado

08 de maio de 2013 | 19h41

A geração de caixa medida pelo Ebtida da companhia ficou negativa em R$ 137,6 milhões no trimestre, impactado, principalmente, pelas despesas operacionais da controladora e pelos custos com a compra de energia elétrica para cumprir obrigações contratuais na usina de Itaqui, que reportou Ebitda negativo de R$ 95,3 milhões. No primeiro trimestre, a receita operacional líquida consolidada somou R$ 196,1 milhões, incremento de 159,2% sobre igual período do ano anterior.

Tudo o que sabemos sobre:
MPXbalançoprejuízo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.