MS vai reduzir em até 75% o ICMS da produção estadual de algodão

São Paulo, 2 - O governo do Mato Grosso do Sul irá reduzir em até 75% a alíquota de ICMS dos produtores de algodão do Estado cadastrados no Programa de Fortalecimento do Algodão. O benefício irá atender 77,4% da área plantada em Mato Grosso do Sul na safra 2006/07, que está estimada em 46,05 mil hectares. Na prática, a redução do imposto pode gerar uma economia de até R$ 340 por hectare para os cotonicultores do Mato Grosso do Sul.Os municípios mais beneficiados serão os de Chapadão do Sul e Costa Rica, que possuem 25 e 14 produtores, respectivamente, e representam, juntos, metade da área plantada em Mato Grosso do Sul. Além desses, as cidades de Alcinópolis (2 produtores), Aral Moreira (1), Bataiporã (4), Deodápolis (8), Fátima do Sul (1), Itaquiraí (40), Ivinhema (1), Japorã (22), Juti (1), Maracajú (15), Naviraí (8), Rio Brilhante (1), São Gabriel do Oeste (11), Sidrolândia (5), Taquarussu (1) também serão beneficiadas com a renúncia fiscal do Estado.O objetivo do governo é incentivar o plantio da pluma na próxima safra. Atualmente, o Estado representa apenas 5% da produção nacional, estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em 3,3 milhões de toneladas de algodão em caroço, o que equivale a 1,3 milhões de toneladas de pluma.Segundo o superintendente de Agricultura e Pecuária da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), João Carlos Krug, o Estado vem recuperando sua produção algodoeira, que já ultrapassou 63 mil hectares na safra 2004/05. "A valorização do real, o baixo preço no mercado internacional e o limite de exportação estadual de apenas 30% fizeram com que a área de plantio fosse reduzida. Com a recuperação do mercado internacional, alavancada pela redução da área plantada nos Estados Unidos, devido ao aumento de plantio de milho, aliado à problemas climáticos na Austrália, permitiram uma recuperação da área plantada estadual", explica ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.