Mudança de diretoria não altera perfil técnico do BC, diz novo diretor

Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo substitui Mário Mesquita na diretoria de Política Econômica

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

31 de março de 2010 | 15h06

O novo diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo, minimizou nesta quarta-feira, 31, qualquer preocupação com a troca de diretores anunciada na manhã desta quarta, que teve a saída de Mário Mesquita da instituição. "O Banco Central completa 45 anos e nesse período já aconteceram várias mudanças de diretoria. O próprio presidente Henrique Meirelles já deve ter indicado pelo menos 15 diretores. Isso faz parte da rotina", afirmou durante entrevista para a divulgação do Relatório Trimestral de Inflação.

 

Hamilton observou que a mudança de diretoria anunciada nesta manhã não vai alterar o perfil técnico das decisões da instituição. "Como a maioria (dos diretores) permanece, o embasamento técnico continua", afirmou.

 

Durante a entrevista, Hamilton explicou a informação que consta no relatório de inflação sobre um "cronograma de saída" da crise, desenhado pelo BC desde dezembro de 2009. Segundo ele, a instituição fez um planejamento da retirada de estímulos diante dos sinais de que a economia estava em retomada da trajetória de expansão. Ele afirmou que esse calendário foi desde então revisado a cada 45 dias nas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom). "Não antecipamos essas decisões porque se a decisão fosse antecipada não precisaríamos nos reunir a cada 45 dias."

 

Hamilton rechaçou a hipótese de que o Copom teria mantido a taxa Selic em março por pressão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Nem sei o que você está falando", respondeu ao jornalista que o questionou sobre essa hipótese.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.