Municípios querem mais dinheiro da União para Plano de Educação

Confederação Nacional dos Municípios divulgou estudo mostrando que, para que metas do Plano de Desenvolvimento da Educação sejam alcançadas, será preciso investimento maior

Eduardo Bresciani, da Agência Estado,

27 de junho de 2011 | 17h07

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) divulgou nesta segunda-feira, 27, um estudo demonstrando os gastos que precisarão ser feitos nos próximos anos para alcançar as metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE).

A intenção é sensibilizar deputados e senadores, que analisam o plano, da necessidade de mais recursos da União para a área. O presidente da entidade, Paulo Ziulkoski, destacou que, apesar de ter metas ambiciosas, o programa não prevê qualquer aumento de financiamento para a área.

"O Fundeb não muda, não tem aumento de financiamento, é só mais gente para atender. Dependendo de como isso for feito, você pode fazer com que a qualidade da educação diminua", disse Ziulkoski.

Segundo os números da CNM, para cumprir agora as metas do PDE de colocar metade das crianças em creches, ampliar para 50% das escolas o ensino integral e universalizar a pré-escola, seriam necessários investimentos de R$ 52,5 bilhões. Disto, somente R$ 34,9 bilhões viriam do Fundeb e outros R$ 17,6 bilhões seriam aportados pelos municípios. O programa do governo prevê o atendimento destas metas em dez anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.