Na zona do euro, atividade privada tem maior contração desde novembro

Preliminar de abril do índice dos gerentes de compra foi pressionada por um forte declínio no setor de manufatura

Danielle Chaves, da Agência Estado,

23 de abril de 2012 | 08h48

LONDRES - A atividade privada da zona do euro teve em abril a maior contração desde novembro, pressionada por um forte declínio no setor de manufatura, sugerindo que a região não vai se recuperar rapidamente da recessão que provavelmente está vivendo, segundo dados da Markit. O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro preliminar de abril caiu para 47,4, de 49,1 em março.

O PMI industrial recuou para 46,0 em abril, de 47,7 em março, e o de serviços diminuiu para 47,9, de 49,2. Um número acima de 50 indica expansão da atividade, enquanto um valor abaixo disso aponta contração. Os resultados vieram abaixo da previsão dos economistas ouvidos pela Dow Jones, que previam PMI composto de 49,3, industrial de 48,1 e de serviços em 49,3.

Os indicadores PMI da zona do euro são elaborados com base em dados de Alemanha, França, Itália, Espanha, Irlanda, Áustria, Grécia e Holanda. O bloco saiu da recessão mais recente no terceiro trimestre de 2009. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EuroPMIMarkit

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.