Nacionalização é risco para mineradoras, vê consultoria

A nacionalização de recursos minerais pelos governos é atualmente o principal fator de risco para as mineradoras, segundo o relatório anual Business risks facing mining and metals 2012-2013 da Ernst & Young. O estudo mostra que a falta de qualificação profissional e o acesso à infraestrutura ocupam as posições seguintes entre os itens de maior risco para as companhias do setor.

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

20 de agosto de 2012 | 13h38

A consultoria diz que a nacionalização de recursos representa um risco maior do que há 12 meses por conta de medidas instituídas pelos governos, como a proibição da exportação de matérias-primas não processadas, elevação de impostos para o comércio exterior e limitações em participação estrangeira.

"Não há dúvidas de que projetos foram adiados, e em alguns casos, investimentos foram cancelados em virtude da equação de risco/benefício", afirmou, em nota, Mike Elliot, líder global da área de Mineração e Metais da Ernst Young.

Outros riscos listados no ranking são aumento de custos, execução de projetos de capital, licença para operar, volatilidade cambial e de custos, gestão e acesso ao capital e fraudes e corrupção.

Tudo o que sabemos sobre:
mineraçãorelatórioErnst & Young

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.