‘Não estamos procurando’, diz Bendine sobre compra de bancos

Segundo o presidente do BB, instituição desistiu da compra do banco de Brasília e, mesmo com a mudança de governo, conversas não foram retomadas

Edna Simão, da Agência Estado,

20 de janeiro de 2011 | 13h36

O presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, disse nesta quinta-feira, 20, que não está à procura de bancos para comprar no País. "Não estamos procurando nada. Não há nada no radar", disse, referindo-se à possibilidade de compra do BRB, banco de Brasília. Segundo o presidente do BB, a instituição desistiu da compra do banco de Brasília, em meados do ano passado, e, por enquanto, mesmo com a mudança de governo, as conversas não foram retomadas.

"Se o GDF (governo do Distrito Federal) estiver interessado em abrir uma negociação sobre os nossos parâmetros, podemos conversar", disse Bendine. Ele ressaltou que tudo depende do preço. Essa foi a maior divergência para as negociações em anos anteriores.

Em café da manhã com jornalistas, o presidente do BB disse que vai inaugurar na segunda-feira uma agência do banco no Morro do Alemão e Cidade de Deus, no Rio de Janeiro. A medida faz parte da estratégia do banco para crescer em comunidades mais carentes. O BB já inaugurou uma agência na comunidade de Paraisópolis, em São Paulo. Segundo o presidente, essas comunidades carentes desassistidas de atendimento bancário têm um potencial "fantástico" devido principalmente à ascensão de renda.

Bendine afirmou ainda que os cartões Cielo, emitidos pelo BB, estarão disponíveis para a população de menor renda no final do primeiro trimestre. De acordo com o presidente, como o BB tem participação na Cielo, as taxas de juros poderão ser mais atrativas.

 

Tudo o que sabemos sobre:
BendineBanco do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.