Não há previsão para aprovar plano de negócios, diz Petrobrás

Companhia precisa triplicar o número de plataformas que utiliza para conseguir dobrar a produção de gás e petróleo em 2020

Kelly LIma, da Agência Estado,

25 de maio de 2011 | 11h54

O diretor e Exploração e Produção da Petrobrás, Guilherme Estrella, disse há pouco que a companhia não tem previsão de quando deverá aprovar seu Plano de Negócios para o período de 2011-2015. "Nós estamos constantemente analisando. Estamos debruçados o tempo todo sobre ele", disse em rápida entrevista após participar de evento promovido pela Statoil no Rio.

A Petrobrás precisa triplicar o número de plataformas que utiliza para conseguir dobrar a produção de gás e petróleo em 2020, afirmou o presidente-executivo da estatal nesta quarta-feira.

Estrella não quis dar detalhes do plano para a sua área e evitou tecer comentários sobre o que o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, teria dito em palestra hoje durante evento na Noruega.

Segundo agências internacionais, o executivo teria comentado que será necessário triplicar o número de plataformas até 2020 de atuais 15 para 53. Nas notícias veiculadas não foi especificado a que plataformas Gabrielli se referia. Para Estrella, a área de Exploração e Produção está  baseada em um "conceito central", que é a "imprevisibilidade".

"Trabalhamos com a perfuração de novos poços e ampliação de conhecimentos para poder aumentar a previsibilidade para cada área. Falar num longo prazo é apenas uma questão de estimativas, mas realmente nossos esforço são para aumentar muito os números de plataformas, sondas e todos os equipamentos, para elevar nossa produção", disse. 

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrásplano de negócios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.