Não temos gás para ofertar ao mercado, diz Gabrielli

Presidente da Petrobrás destacou que estatal não assinará novos contratos de fornecimento porque ainda não se sabe a quantidade de gás que precisará ser injetada no pré-sal

Renato Veríssimo e Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

22 de novembro de 2011 | 13h55

O presidente da Petrobrás, José Sergio Gabrielli, disse nesta terça-feira, 22, que não tem gás para disponibilizar ao mercado. Segundo ele, os contratos já assinados estão 100% garantidos, mas a Petrobrás não assinará novos contratos, inclusive para as novas termoelétricas que serão licitadas em dezembro. "Neste momento não sabemos qual o gás que precisaremos para injetar no pré-sal. Precisa de tempo para isso. Por este motivo não vou fazer novos contratos para 2016 porque não sei se terei gás garantido", afirmou Gabrielli após solenidade de balanço do PAC.

Ele explicou que parte do gás produzido pela Petrobrás é associado à produção de petróleo. Por isso, sem saber qual a proporção de gás que será necessária para injetar no campo produtor de petróleo, a estatal não tem como identificar a quantidade de gás que terá para disponibilizar ao mercado. "Portanto, eu não tenho gás hoje para ofertar para 2016 até que apareça mais gás", declarou.

Campo de Frade

O presidente da Petrobrás evitou comentar o vazamento de óleo no Campo de Frade, operado pela Chevron, porém afirmou que acidentes dessa natureza não preocupam apenas as companhias envolvidas, mas toda a indústria petrolífera. Gabrielli se limitou a afirmar que a Petrobrás toma todos os cuidados na exploração de poços e trabalha em colaboração também com as outras empresas do setor para evitar acidentes deste tipo.

Tudo o que sabemos sobre:
gásPetrobrasGabrielli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.