Alex Silva/Estadão - 22/12/2021
Alex Silva/Estadão - 22/12/2021

'Não vamos acelerar o uso do caixa para agradar ao mercado', diz fundador da Getninjas

Eduardo L’Hotellier afirma que pretende usar o dinheiro da abertura de capital para investir em produto e marca, no lugar de apostar em aquisições

Entrevista com

Eduardo L'Hotellier, fundador e presidente da Getninjas

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2022 | 05h00

Após uma empresa abrir seu capital e passar pelo escrutínio de investidores, uma das cobranças mais recorrentes se refere ao uso do caixa com aquisições. Isso não tem sido diferente com a Getninjas, plataforma que reúne prestadores de serviços. “Nosso plano é investir em produto e em marca. Não vamos acelerar o uso do caixa para agradar ao mercado. Construímos uma empresa de longo prazo”, diz o fundador e presidente da companhia, Eduardo L’Hotellier.

Como a economia ruim afeta o negócio?

Independentemente da economia, as pessoas continuam precisando de encanador e eletricista. Ao longo da pandemia, o crescimento foi mais relacionado à digitalização. O mercado de serviços ainda é offline, mas o digital está começando a substituir, e isso vai fazer com que a empresa continue a crescer.

Como está a competição nesse mercado?

Acredito que vai haver mais competição, mas os clientes ficarão na plataforma que tem mais profissionais, e os profissionais estarão onde tem mais clientes. E saímos na frente.

E a cobrança para acelerar a estratégia de aquisições?

Nosso plano é investir em nosso produto e marca, e temos feito isso. Não vamos acelerar o uso do caixa para agradar ao mercado. Construímos uma empresa de longo prazo. Fora isso, existe um descompasso de preço: estamos em um momento em que as empresas não listadas valem mais do que as listadas. Temos algumas conversas mais mornas nesse momento. Pode ser que agora em 2022, se tivermos um acordo em relação a valor, isso avance.

O que explica a queda tão forte das ações, de 70% desde a abertura de capital?

Quase toda empresa menos líquida na Bolsa sofreu, e as de tecnologia sofreram em dobro. Nosso negócio tem uma correlação baixa com a economia. Em termos operacionais, continuaremos entregando (bons resultados).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.