Natura eleva preços de produtos em 5% neste mês

A fabricante de cosméticos Natura espera que o cenário de alta da inflação que obrigou o Banco Central a impor medidas para contenção do crédito não tenha influência relevante sobre os resultados da companhia.

REUTERS

24 de fevereiro de 2011 | 12h40

Em entrevista a jornalistas nesta quinta-feira, o diretor-presidente da Natura, Alessandro Carlucci, afirmou que "o aumento (da inflação) não será dramático o suficiente para que as classes C e D deixem de comprar".

Ele afirmou que a Natura reajustou seus preços em 5 por cento este mês, seguindo a prática da empresa de realizar um aumento a cada ano. Em 2010, o reajuste foi de 6 por cento.

"O setor de cosméticos tem a característica de que as mulheres não deixam de comprar mesmo quando há aumento de preços" acrescentou. "O aumento de 5 por cento é compatível com a pressão de custos que prevíamos para 2011", disse Carlucci.

Segundo ele, a Natura também não espera ser afetada pela disparada dos preços do petróleo, que é uma das principais matérias-primas usadas na produção de cosméticos e embalagens plásticas.

Na avaliação do vice-presidente financeiro da Natura, Roberto Pedote, a pressão de custos de produção enfrentada pela empresa está "bastante controlada e de acordo com o previsto".

Às 12h39, as ações da Natura exibiam queda de 2,16 por cento, enquanto o Ibovespa operava em baixa de 0,15 por cento. Na noite de quarta-feira, a empresa divulgou alta de 17,6 por cento no lucro líquido do quarto trimestre na comparação anual.

(Por Vivian Pereira)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASNATURAPRECOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.