Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Negociação com credores será retomada esta semana, diz presidente da Oi

Marco Schroeder afirmou que empresa não deve apresentar proposta; companhia tem 60 dias para apresentar plano

Mariana Sallowicz, O Estado de S.Paulo

29 Junho 2016 | 21h37

RIO - Momentos após a aprovação do pedido de recuperação judicial da Oi, o presidente da tele, Marco Schroeder, afirmou ao Broadcast, serviço de informações da Agência Estado, que a negociação com os detentores de títulos da companhia deve ser retomada nesta semana, mas a empresa não irá apresentar proposta. "Vamos ouvir", disse. O executivo afirmou ainda que começaram os contatos nesta semana com credores, principais bancos e fornecedores. "Agora temos 60 dias (úteis) para apresentar esse plano. Vamos conversar com os credores e teremos um período para eles analisarem, negociarem e aprovarem se estiverem de acordo".

O executivo afirmou que a empresa estava esperando a decisão do juiz para retomar as negociações. "Tínhamos parado um pouco o processo aguardando o aval da Justiça (para o processo). Provavelmente nesta sexta-feira vamos sentar com os bondholders para saber o que é importante para eles", afirmou Schroeder.

O presidente da tele disse ainda que a companhia pretende reunir um portfólio de propostas. "Na assembleia, os credores podem optar por uma ou outra, o importante é ouvir eles", afirmou. Ele acrescentou que parte dos credores pode aceitar receber ações da companhia.

A respeito da possível formação de outros grupos de credores, ele ressaltou que o único que entrou em contato com a companhia até o momento é representado pela Moelis & Company, com quem já há um histórico de negociação.

"Eventualmente outros investidores podem ser agregados nesse grupo, pode ter até algum outro advisor que venha conversar com a gente, mas nesse momento o único grupo de credores que nos procurou e que estamos negociando é o representado pela Moelis". Para o executivo, o atual grupo já é bem representativo, com 30% dos detentores de títulos.

O executivo também afirmou que a negociação com bancos ocorrerá de forma direta, uma vez que são mais concentrados. "Vínhamos conversando com esses bancos antes e continuamos. Não existe proposta e nem eles nos passaram parâmetros", disse. As principais instituições financeiras credoras da Oi são Banco do Brasil, BNDES, Itaú e China Development Bank (CDB), citou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.