Neoenergia nega intenção de alterar fatia em consórcio de Belo Monte

Empresa disse que a participação de 10% é a constante no plano de negócio da Neoenergia

Agência Estado,

27 de maio de 2011 | 10h16

A Neoenergia informou há pouco que não existe no momento nenhuma negociação ou estudo para alteração dos 10% de participação detidas por meio de sua controlada Belo Monte Participações no consórcio Norte Energia, concessionária da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA). "Essa participação é a constante no plano de negócio da Neoenergia e não existe no momento nenhuma negociação ou estudo para alteração desse porcentual de participação na Norte Energia", diz a empresa, no comunicado.

Na terça-feira, a Agência Estado noticiou que as empresas Galvão Engenharia, Mendes Júnior, Serveng Cetenco, Contern e J.Malucelli têm planos de sair do grupo de investidores de Belo Monte, mantendo-se apenas como construtoras do projeto.

Conforme a reportagem, cogita-se no mercado que o fundo de pensão Funcef (dos funcionários da Caixa) e a Neoenergia (Iberdrola, Previ e Banco do Brasil) poderiam adquirir a fatia desses novos desistentes. Juntas, Galvão, Serveng, Cetenco, Contern e Mendes Júnior, têm 6,25% de Belo Monte.

O diretor de Investimento da Funcef, Demosthenes Marques, afirmou na quarta-feira à Agência Estado que a área de investimento do fundo avalia a possibilidade de ampliar sua participação na usina de Belo Monte. Atualmente, o Funcef detém 2,5% de participação na Norte Energia.

Até o momento, a Norte Energia só dispõe da licença de instalação para o canteiro de obras, cujos trabalhos também não deslancharam por conta das fortes chuvas que atingem a região onde será construída a usina. 

Tudo o que sabemos sobre:
NeoenergiaBelo Monte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.