Nestlé pretende vender negócios com fraco desempenho

A Nestlé pretende recuperar ou vender boa parte de suas marcas e negócios com fraco desempenho, disse nesta quinta-feira, 17, o executivo-chefe da companhia, Paul Bulcke, reconhecendo que a maior empresa de alimentos do mundo tem sido prejudicada por questões que deveriam ter sido abordadas antes.

Agencia Estado

17 de outubro de 2013 | 18h40

Em entrevista ao Wall Street Journal, o executivo disse que a Nestlé reavaliou dois terços de seu portfólio, que abrange 1.800 células de negócios. Bulcke não identificou as linhas de produtos que serão afetadas, mas indicou que a companhia não irá tolerar marcas e negócios com fraco desempenho.

Segundo ele, "uma porcentagem bem grande" dos negócios poderia ser melhorada ou vendida. A empresa costuma fazer ajustes em suas marcas mais fracas para melhorar o desempenho.

A Nestlé já começou a vender alguns ativos, como duas marcas francesas de água mineral e uma operação australiana de sorvetes. Ao reduzir seu portfólio de produtos, a companhia poderá se concentrar em negócios mais promissores, como o de nutrição infantil e de ração para animais de estimação, dizem analistas.

A Nestlé anunciou nesta quinta-feira que as vendas nos nove primeiros meses de 2013 ficaram abaixo das expectativas dos analistas. No acumulado do ano até setembro, as vendas cresceram 4%, para 68,35 bilhões de francos suíços (US$ 74,93 bilhões), ligeiramente abaixo das expectativas dos analistas de 69,04 bilhões de francos suíços. Fonte: Dow Jones Newswires.

(Angelo Ikeda - angelo.ikeda@estadao.com)

Tudo o que sabemos sobre:
nestlévenda de marcas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.