Jason Alden/Bloomberg
Jason Alden/Bloomberg

Netflix faz parceria com a Microsoft para lançar versão com veiculação de anúncios

Novo produto deve chegar até o fim do ano; ações da gigante do streaming operam em forte alta nesta quarta-feira, 13, depois do anúncio do trabalho conjunto com a empresa de tecnologia

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2022 | 16h05

A gigante do streaming Netflix deve lançar uma versão de seu serviço com veiculação de anúncios, com um preço de assinatura mais barato. Nesta quarta-feira, 13, a companhia anunciou que escolheu a Microsoft como parceira para a plataforma com venda de publicidade, trazendo uma bem-vinda fonte de receitas para o negócio. No início deste ano, a Netflix anunciou sua primeira perda de assinantes em 11 anos, em meio a um cenário de maior concorrência pelo consumidor e também de crise econômica.

"A Microsoft já provou sua habilidade de apoiar todas as nossas necessidades publicitárias à medida em que trabalhamos juntos para constuir uma plataforma apoiada por anúncios", disse, em comunicado, a Netflix. "Ainda mais importante, a Microsoft ofereceu a flexibilidade de inovação ao longo do tempo tanto em tencologia quando em vendas, além de garantir a privacidade de nossos usuários."

O mercado financeiro reagiu bem ao anúncio. Os papéis da Netflix, que vêm sofrendo ao longo do tempo, operavam em forte alta em Nova York ao longo do dia. De acordo com a revista Variety, o anúncio não deixa de ser uma surpresa. Isso porque, ao definir um parceiro para construir sua nova plataforma, a Netflix vai abrir mão de pelo menos uma parte de sua receita com anúncios.

Em seu site oficial, a empresa criada por Bill Gates destacou que "está entusiasmada com o anúncio" e que vai poder direcionar os profisionais de marketing que procuram a companhia para o novo serviço de publicidade do streaming. "Os profissionais de marketing que procuram a Microsoft para suas necessidades de publicidade terão acesso ao público Netflix e ao inventário premium de TV conectada", disse em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.