NetMovies desiste de concorrer com Netflix

No fim de 2010, a Ideiasnet, holding de empresas nascentes que tem entre os sócios o empresário Eike Batista, recebeu R$ 11 milhões do fundo americano Tiger Global por 54% na NetMovies, serviço de entrega de DVDs criado pelo físico Daniel Topel em 2006. A ideia era fortalecer a empresa para bater de frente com a americana Netflix, que chegaria ao Brasil meses depois. O projeto, no entanto, fracassou. Ideiasnet, Tiger Global e Topel deixaram o negócio e repassaram a NetMovies a um funcionário da empresa - a custo zero, apurou a reportagem.

FERNANDO SCHELLER, Agencia Estado

29 de julho de 2013 | 09h05

O problema da NetMovies, de acordo com fontes de mercado, não está ligado necessariamente à concorrência da Netflix. As dificuldades financeiras já existiam antes mesmo da chegada da concorrente. A própria venda de uma fatia majoritária para o fundo Tiger Global foi uma forma de resgatar as contas da empresa, que vinha crescendo rapidamente às custas da queima de capital.

Com a meta de dominar o mercado brasileiro de aluguel de filmes pela internet, a NetMovies adquiriu três concorrentes de menor porte, entre elas a PipocaOnline, e iniciou uma forte expansão territorial. Como é de praxe no setor de internet, toda a vez que o dinheiro de um fundo chega, a ordem é crescer rapidamente para ocupar mercado - a lucratividade é uma preocupação que fica em segundo plano. O ano de 2011 foi o momento em que a NetMovies pôs o pé no acelerador. O serviço, que antes estava praticamente restrito a São Paulo, chegou a 93 cidades de 18 Estados em pouco mais de 12 meses, o que exigiu a abertura de centros de distribuição em várias capitais e cidades do interior das regiões Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste.

A própria empresa admite que, no processo de expansão, a qualidade ficou comprometida. Fontes reconhecem que o investimento no streaming (transmissão instantânea) também ficou aquém do necessário para rivalizar com a Netflix. Os problemas comprometeram o clima entre os sócios. Minoritário depois da entrada do Tiger Global, o fundador Topel viu seu poder diminuir. Em maio de 2012, com a expansão já no meio do caminho, ele foi substituído por uma executiva de mercado, Claudia Woods, recrutada no ClickOn. A passagem da Claudia pela NetMovies foi rápida. Segundo apurou a reportagem, os acionistas se reuniram e decidiram pela volta de Topel à presidência da empresa em novembro do mesmo ano.

O retorno do fundador, porém, se deu em outros termos: a ordem era desmontar o negócio. Após o retorno de Topel, a NetMovies, que era presença constante na mídia e fazia muita publicidade online, desapareceu do radar. Desde o início do ano, boa parte da operação de entrega de DVDs que foi desenvolvida nos 24 meses anteriores passou a ser desmontada.

A companhia abandonou até sua página oficial no Facebook, que ainda conta com mais de 50 mil fãs, mas não recebe nenhuma atualização desde o dia 15 de fevereiro. A empresa também encerrou contratos de assessoria de imprensa. A NetMovies ficou tão fora do radar que os sócios conseguiram sair do negócio sem fazer barulho: o repasse da empresa para um funcionário de longa data ocorreu no início de junho.

A decisão dos sócios de desistir da NetMovies coincidiu com o crescimento da Netflix no País. A empresa americana, que estreou de forma tímida no Brasil e, no começo da operação, foi negativamente comparada à rival nacional, reconhece que demorou para entender o mercado brasileiro.

No início, a Netflix apostou em um cardápio de conteúdo parecido com o de sua filial mexicana. Foi obrigada a mudar para uma programação mais sofisticada, e em idioma original, para se adaptar ao perfil de consumo de seus primeiros clientes. No segmento de transmissão online de filmes e séries de TV, a NetMovies jogou a toalha e desistiu de concorrer com a Netflix. O novo diretor executivo da NetMovies, Gustavo Capistrano Haramura, fundou uma nova empresa, a Movies 4 Us, para administrar a marca e o catálogo do site no qual trabalhou por seis anos. Ele conta que a meta atual é restabelecer a qualidade do serviço de entrega física de blu-ray e DVD. Quando recebeu a empresa dos ex-patrões, a operação da NetMovies já havia sido reduzida à Grande São Paulo.

A reportagem apurou que o negócio foi entregue aos novos empreendedores sem que o fundador e os investidores recebessem em troca uma compensação em dinheiro. ?A venda foi feita dentro da realidade atual da empresa, após os problemas, e não pode ser comparada ao pagamento feito pelo Tiger?, explica uma fonte da NetMovies. Em casos como esse, a desistência do negócio é um sinal de que o fundo já não acredita mais no investimento. Em 2010, por exemplo, a GP Investimentos vendeu a rede de consultórios odontológicos Imbra por R$ 1 para o grupo brasileiro Arbeit. Meses depois, a rede foi fechada.

Sem o mesmo poder de investimento dos sócios anteriores, Haramura diz que a ?nova? NetMovies trabalha com ambições reduzidas. Ele afirma que a empresa vai focar na qualidade da entrega dos DVDs na casa dos consumidores. O serviço de streaming deverá ser reformulado para atender o público que gosta de filmes de arte. ?Não vamos mais concorrer com a Netflix, como na época do Tiger. Podemos ser um produto complementar.? As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
filme online@estadaoconteudo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.