News Corp. negocia acordo sobre conteúdo com a Microsoft

Empresa de Rupert Murdoch quer tirar seus jornais do Google para publicá-lo em sites do concorrente

estadao.com.br,

24 de novembro de 2009 | 09h37

A News Corp., uma das maiores companhias de mídia do mundo, tem discutido com a Microsoft uma parceria que poderia levar o grupo de Rupert Murdoch a remover seu conteúdo jornalístico da ferramenta de buscas do Google e publicá-lo nas propriedades online da Microsoft, segundo pessoas próximas ao assunto ouvidas pelo Wall Street Journal.

 

Veja também:

link Murdoch quer bloquear jornais no Google

 

De acordo com essas pessoas, as conversas ainda estão em um estágio inicial e podem não resultar em um acordo, informou a agência Dow Jones. Entre as questões mais difíceis estão os termos sob os quais a Microsoft pagaria à News Corp. para publicar o novo conteúdo - que inclui o Wall Street Journal e o britânico The Sun. O Financial Times relatou as discussões entre as duas companhias em seu site. Não está claro se as conversas incluem os sites não jornalísticos da News Corp., como a rede social MySpace e a rede de televisão Fox.

 

As discussões são mais um sinal da crescente tentativa das empresas de notícias de encontrar novas fontes de receita para suas reportagens e informações online, em resposta aos desafios impostos pela internet. Embora um acordo com a Microsoft seja um novo meio de a News Corp. receber pagamento pelo conteúdo, a companhia arriscaria perder uma grande audiência caso seus textos não fiquem disponíveis para os usuários do Google.

 

Junto com a Associated Press e outras empresas, a News Corp. também tem criticado o Google e outros portais por usar partes de suas notícias para fazer links com os sites das empresas jornalísticas. O Google e outros portais dizem que têm o direito de publicar pedaços dos textos, o que ajuda a levar os usuários para os sites de notícias.

 

Os esforços da Microsoft para tornar-se um grande player no mercado de buscas e seus recursos financeiros fazem da companhia uma alternativa ao Google potencialmente atraente para as editoras que procuram meios de cobrar por seu conteúdo.

 

A companhia vem ganhando pequenas fatias de mercado desde que lançou a nova versão de sua ferramenta de busca, chamada Bing, no início deste ano. A Microsoft foi responsável por 9,9% do mercado de buscas dos Estados Unidos em outubro, enquanto o Google teve 65,4%, de acordo com a comScore.

Tudo o que sabemos sobre:
MicrosoftNews CorpMurdochGoogleBing

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.