Nippon Steel quer reajustar preços em 25%

A Nippon Steel, quarto maior grupo siderúrgico do mundo, informou nesta segunda-feira que está buscando um aumento de cerca de 25 por cento nos seus preços após abril para cobrir aumentos de custos com insumos. Apesar disso, a empresa deve enfrentar forte resistência de clientes domésticos como a Toyota Motor, que enfrenta demanda fraca.

YUKO INOUE, REUTERS

28 de fevereiro de 2011 | 12h07

O vice-presidente executivo da Nippon Steel, Kozo Uchida, afirmou que a empresa espera que os custos de importantes insumos como minério de ferro e carvão subam em mais de 15 mil ienes (183,50 dólares) a tonelada após abril.

"Em termos gerais, um aumento de preço de cerca de 20 mil ienes por tonelada é necessário em nossos produtos siderúrgicos por causa do aumento de custos", disse Uchida a jornalistas.

Isso é equivalente a quase 25 por cento de aumento, dado que o preço médio dos produtos da Nippon Steel é de cerca de 82 mil ienes para o ano que se encerra em 31 de março.

"Eles vão ter dificuldades em aumentar preços no mercado doméstico porque o mercado não está apertado o bastante para forçar clientes que operam sob contrato a aceitar um reajuste deste porte", disse Yuji Matsumoto, analista do Nomura Securities.

A rival de menor porte da Nippon Steel, JFE Steel, informou na semana passada que vai aumentar preços de chapas de aço em 20 mil ienes por tonelada a partir de abril.

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIANIPPONAUMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.