No RS, chuva compromete qualidade do cereal

Tempo úmido afeta lavouras em fase de maturação e aumenta incidência de doenças fúngicas

Estadão,

24 de outubro de 2007 | 13h18

A comercialização da safra nacional de trigo evolui lentamente. No mercado de lotes do Paraná, compradores oferecem R$ 580 a R$ 600 a tonelada, enquanto os vendedores pedem R$ 620 e R$ 630/tonelada. As cooperativas continuam reclamando que as indústrias estão comprando pouco, aproveitando a oferta crescente da produção para tentar reduzir os preços no mercado. O empresário Lawrence Pih rebate. Ele afirma que os moinhos estão se abastecendo apenas com trigo nacional neste momento e pagam os preços de mercado. O Paraguai também começa a colher sua safra de trigo, e teria para exportar ao Brasil 250 mil toneladas, a preços compatíveis com os do mercado paranaense. Safra O excesso de chuvas já compromete a qualidade do trigo gaúcho. Segundo a Emater-RS, o tempo encoberto e úmido prejudicou lavouras em fase de maturação, que tendem a produzir grãos com menor pH. Além disso, a umidade provocou também aumento na ocorrência de doenças fúngicas. A colheita no Rio Grande do Sul ganha ritmo apenas no fim deste mês. Até o momento, estão sendo colhidas lavouras plantadas mais cedo. A colheita atinge 8% da área, ante 16% em igual período do ano passado. No Paraná, o tempo seco favorece a colheita de trigo, que passa dos 80% da área, segundo o Departamento de Economia Rural.

Tudo o que sabemos sobre:
Trigo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.