Norte de MG é reconhecido como área livre da doença da sigatoka

Belo Horizonte, 23 - O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) informou hoje que a região norte de Minas foi reconhecida como área livre de Sigatoka Negra. De acordo com as informações, a Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, publicou hoje instrução normativa liberando o trânsito de bananas provenientes de 15 municípios desta região para qualquer Estado da federação. O reconhecimento da área descrita tem validade por um ano, a partir da data de publicação da instrução, e pode ser renovado. Em Minas foram descobertos focos da doença em dois municípios do sul do Estado e um da Zona da Mata. Entretanto, a maior concentração de plantações está justamente no norte, em especial nas áreas irrigadas do Projeto Jaíba. A área plantada de banana no Estado é de 40 mil hectares, responsável por uma produção de 548,2 mil toneladas no ano passado. A região norte respondeu por 264 mil toneladas deste total. Após a confirmação dos focos de Sigatoka em Minas, o IMA cadastrou todas as propriedades, apresentou relatório com os resultados dos levantamentos fitossanitários (com laudo laboratorial negativo) das propriedades da região e demonstrativo da existência de barreiras fitossanitárias (governo mineiro implantou mais quatro novas barreiras na região). Com esses pré-requisitos cumpridos, o Estado enviou uma justificativa ao Ministério da Agricultura, visando a obtenção da garantia de área livre. No caso de Minas Gerais, o governo argumentou que o norte do Estado está situado a mais de 700 quilômetros de distância das regiões onde foi detectada a doença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.