Nova safra de cana do Brasil cresce e pode atingir 579,8 mi T

A safra brasileira decana-de-açúcar em 2008/09 deverá ficar no intervalo entre 558,1e 579,8 milhões de toneladas, ante produção na safra passada de501,5 milhões de toneladas, informou nesta terça-feira aCompanhia Nacional de Abastecimento (Conab). De acordo com o primeiro levantamento para a nova safranacional de cana, o aumento na produção se deve principalmenteao clima favorável, ao crescimento da área de cultivo e àutilização de variedades de maior produtividade. Os investimentos em novas áreas foram puxados especialmentepela maior demanda por álcool no Brasil, em função docrescimento da frota de veículos bicombustíveis. "A questão é simples: o mercado de álcool está seexpandindo fortemente junto com a frota de veículos flex,enquanto a demanda por açúcar cresce de forma vegetativa.Assim, o futuro é alcooleiro", afirmou Angelo Bressan,especialista em agroenergia da Conab. Já o diretor de Produção e Agroenergia do Ministério daAgricultura, Manoel Bertone, ponderou que, embora as novasunidades estejam sendo implantadas pela maior demanda porálcool, a maior parte delas tem capacidade de produzir açúcar. "Imagine se a Índia (segundo maior produtor de açúcar atrásdo Brasil) começar a produzir álcool para atender ao mercadointernacional; os preços do açúcar podem subir", declarou ele,lembrando que o Brasil estaria preparado para aproveitar taloportunidade. A Conab informou que a produção de açúcar no Brasil nasafra 08/09 ficará entre 33,9 e 35,2 milhões de toneladas,contra 31,3 milhões de toneladas em 2007/08. A produção de álcool no país foi estimada no intervaloentre 26,4 e 27,5 bilhões de litros, ante 23 bilhões de litrosna safra anterior. Segundo o relatório, o cultivo de cana saltou de 7 milhõespara 7,8 milhões de hectares em 2008/09, "resultado, na suamaioria, da instalação de novas usinas, sobretudo em áreas depastagens." "Sessenta e seis por cento de toda a cana expandida nesteano é em área de pastagem", disse Bressan a jornalistas durantea divulgação dos dados. Segundo Bressan, o Estado de São Paulo, o maior produtorbrasileiro de cana, concentrou 53 por cento da expansão deárea. "Enfim, é o Centro-Sul que está crescendo, em São Paulo ena sua circunvizinhança." De acordo com estudo apresentado por Bressan, mesmo em SãoPaulo a maior parte da expansão ocorreu em áreas de pastagens."É uma lógica simples, essas terras são mais baratas",declarou. EMBATE COM ALIMENTOS O presidente da Conab, Wagner Rossi, refutou a idéia de queo crescimento da cana seja uma ameaça para a produção dealimentos ou para as florestas do país, afirmando que agramínea está presente em apenas 2,8 por cento da área totalcultivável do Brasil, de 276 milhões de hectares. A Conab estimou a produção de cana do Centro-Sul entre489,6 e 508,3 milhões de toneladas, contra 435,4 milhões detoneladas em 2007/08. Na região, responsável por aproximadamente 90 por cento daprodução brasileira, a Conab projetou o volume de açúcar entre28,8 e 29,9 milhões de toneladas, ante 26,4 milhões detoneladas em 07/08, e a produção de álcool entre 24,1 e 25bilhões de litros, contra 20,8 bilhões de litros no anopassado. A Conab estimou que o Brasil vai exportar 4,2 bilhões delitros de álcool na safra 2008/09, com a maior parte devendo irpara os Estados Unidos, que está implantando um agressivoprograma para elevar o uso de biocombustíveis. O levantamento da Conab foi distribuído nesta terça-feirana Agrishow, exposição de tecnologia agrícola que acontece emRibeirão Preto (SP). (Colaborou Inaê Riveras, em São Paulo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.