Brendan McDermid/ Reuters
Brendan McDermid/ Reuters

Novata, Rivian já vale mais do que GM e Ford

Estreia da empresa na Nasdaq tornou a Rivian a segunda companhia de veículos mais valiosa dos Estados Unidos, atrás somente da Tesla, do bilionário Elon Musk, que hoje é avaliada em mais de US$ 1 trilhão

Reuters

11 de novembro de 2021 | 05h00

NOVA YORK - As ações da Rivian Automotive, que tem entre seus investidores a gigante do comércio eletrônico Amazon e a montadora Ford, chegaram a disparar mais de 50% na estreia na bolsa norte-americana de tecnologia Nasdaq, na quarta-feira, 10, dando à montadora de veículos elétricos um valor de mercado de mais de US$ 100 bilhões.

A estreia tornou a Rivian a segunda companhia de veículos mais valiosa dos Estados Unidos, atrás somente da Tesla, do bilionário Elon Musk, que hoje é avaliada em mais de US$ 1 trilhão. 

Apesar de ter acabado de começar a vender veículos e ter pouca receita, a Rivian ficou à frente do valor de mercado de US$ 86 bilhões da General Motors e dos US$ 77 bilhões da Ford, sua sócia.

A ação da Rivian abriu o pregão de quarta cotada a US$ 106,75, superando em muito os US$ 78 do IPO (oferta inicial de ações, na sigla em inglês). Mesmo perdendo fôlego ao fim do pregão, o papel da novata fechou o dia acima dos US$ 100.

“O IPO da Rivian mostra o entusiasmo dos investidores sobre eletrificação e tecnologia”, afirmou o analista Asad Hussain, da PitchBook.

A estreia na Nasdaq permitiu à Rivian levantar cerca de US$ 12 bilhões para financiar seu crescimento e o número pode subir para US$ 13,7 bilhões se lotes adicionais de papéis forem exercidos.

A Amazon.com é a maior acionista da Rivian, com uma participação de 20%.

A Rivian tem investido pesado para aumentar a produção de sua picape elétrica R1T, lançada em setembro. A empresa pretende lançar na sequência um utilitário esportivo e uma van comercial, explorando os segmentos mais aquecidos do mercado.

A montadora planeja fabricar pelo menos 1 milhão de veículos por ano até o fim da década. A empresa tem fábrica no Estado norte-americano de Illinois e já anunciou planos para abrir uma segunda instalação nos EUA. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.